sábado, 22 de novembro de 2008

Om Mani Padme Hum



Primeira postagem requer um pouco de atenção de cuidado e de zelo pois não é todo dia que um grupo como o nosso decide deixar publico todas as loucuras que rolam pelos corredores do curso de História e por aquele famoso banquinho que se falasse nossa iria nos comprometer e muitooooooo...

Iniciando o primeiro post queria deixar essa que é uma poesia fantástica e marca esse nosso grupo.







Embriagai-vos

É necessário estar sempre bêbado.
Tudo se reduz a isso; eis o único problema.
Para não sentirdes o fardo horrível do Tempo,
que vos abate e vos faz pender para a terra,
é preciso que vos embriagueis sem cessar.
Mas - de quê?
De vinho, de poesia ou de virtude,
como achardes melhor.
Contanto que vos embriagueis.
E, se algumas vezes,nos degraus de um palácio,
na verde relva de um fosso,na desolada solidão do vosso quarto,
despertardes,com a embriaguez já atenuada ou desaparecida,
perguntai ao vento,
à vaga,à estrela,
ao pássaro, ao relógio,
a tudo o que foge,
a tudo o que geme,
a tudo o que rola,
a tudo o que canta,
a tudo o que fala,
perguntai-lhes que horas são;e o vento,
e a vaga, e a estrela,
e o pássaro, e o relógio,
hão de vos responder:
- É a hora da embriaguez!
Para não serdes os martirizados escravos do Tempo,
embriagai-vos; embriagai-vos sem tréguas!
De vinho, de poesia ou de virtude, como achardes melhor.
Charles Baudelaire

Um comentário:

Mr Bobby Jones McGee disse...

olá :D
essa poesia é fantástica *_*
ela faz parte dos textos de inspiração de uma peça que fiz, o ensaio sobre a loucura :) tu ias gostar!

:* Ângela